Uso de máscaras como ato de Amor

Esta semana fui à rua e vi uns 80% das pessoas usando máscaras, e enxerguei o fato como um ato de amor ao próximo.

Porque mais do que se proteger, o uso de máscaras protege “o outro” de receber a carga viral caso se esteja infectado sem saber.

Essa estratégia do uso de máscaras caseiras por todos só funciona de fato quando “todos” aderem à pratica.

Estatísticas do ato de amor

Assim como já foi citado em um post anterior, veja em … https://mirianyamaguchi.com.br/controle-do-medo-para-profissionais-da-saude/

para reduzir o percentual de transmissão qualquer 1% pode ter grandes efeitos na matemática exponencial que caracteriza a atual pandemia.

Desta forma, é previsto que mais de 85% da população, ao longo desta temporada tenha algum contato com o vírus e se imunize sem grandes sintomas.

Isso ocorre pois nossa imunidade está trabalhando sempre a serviço do Bem-Estar e da Saúde do corpo como um todo.

Portando, o que se pretende evitar é a rápida propagação da doença, uma vez que a maioria de nós não apresentará sintomas.

A transmissão se torna silenciosa, e sem querer podemos estar provocando a doença em pessoas mais frágeis.

Ou então podemos contaminar pessoas que irão contaminar outras pessoas até chegar a uma pessoa frágil.

Por isso o uso das máscaras se torna um ato de Amor. Amor próprio e Amor ao Próximo.

Lei de Pasteur

Louis Pasteur, pai da microbiologia, descreveu desde os primórdios dos conhecimentos sobre os microorganismos:

A Saúde ou Doença será sempre o resultado da agressividade e quantidade do agente invasor versus as defesas do corpo

Assim, quanto mais práticas que podem reforçar a imunidade (atividade física, pegar sol, alimentação saudável, bom sono, meditção e sábia hipnose), melhor.

Além disso, o isolamento e afastamento social, evitar aglomerações e sempre que colocar o pé fora de casa, usar a máscara protetora.

Assim estaremos nos cuidando e ao mesmo tempo cuidando de quem mais precisa nesse momento de proteção.

Ato de amor com pessoas frágeis em casa

Quanto mais pessoas circulando nas ruas, maior a importância de quem tem mais susceptibilidade se preservarem.

Não é possível o 100%, uma vez que não podemos criar uma bolha para cada idoso ou paciente com diagnostico de diabetes, por exemplo.

Dessa forma, voltamos para as probabilidades estatísticas. Nesse raciocínio, quanto menos exposição melhor.

Por exemplo: se você visita regularmente um idoso na família, procure usar a máscara sempre que estiverem por perto.

demonstração das Macro e Micro partículas que são contidas pelo uso da Máscara Caseira

Assim como em domicílios em que há pessoas frágeis, o ideal é que permaneçam mais tempo em cômodos separados, e sempre que estiverem em um mesmo ambiente deixem o ar circular.

Lembrando que tudo isso deve ser somado às medidas padrão de lavar as mãos, usar álcool gel e higienizar objetos que vêm da rua, etc.

Nem todo “idoso” é Frágil

Para algumas pessoas a juventude parece se prolongar por mais tempo, “60 são os novos 30”, e essas pessoas não apresentam fragilidade.

Apesar disso, em se falando de saúde coletiva, precisamos dar uma orientação geral que garanta que todos possam ser incluídos.

Por isso a recomendação de considerar a idade fator de maior fragilidade, demandando maiores cuidados.

Portanto, para quem tem idade, mesmo que esteja no auge da sua saúde, as recomendações são exatamente as mesmas.

Ato de Amor em Espaços Pequenos

Há grupos de pessoas que vivem ou convivem com outras em pequenos cômodos, e muitas vezes há fragilidade de algum dos membros.

Neste caso, o ideal também é o uso das máscaras caseiras pelo maior período do dia e da noite que for possível.

Isso levando em conta a Lei de Pasteur, que nos adverte quanto à potência maior da exposição se for por um periodo mais prolongado.

Sempre se considerando deixar uma janela ou porta aberta, ou preferencialmente duas, para permitir a circulação do ar.

Demonstração de como uma conversa comum também elimina Micro Partículas e como elas só saem com uma janela aberta ou outra saída para o ar

Conclusão

Desta forma concluímos que as melhores práticas para este período de vírus circulante são, além dos cuidados pessoais, os cuidados com os outros.

O uso das máscaras caseiras podem reduzir significativamente a velocidade e intensidade da transmissão do vírus.

E desta forma cada um pode colaborar com a sua parte para conter a disseminação em massa que iria sobrecarregar nosso Sistema de Saúde.

Uma grande oportunidade de mudança de foco está nas nossas mãos.

Sair do “egoísmo” de pensar apenas em si, e ampliar a atenção àqueles que estão mais próximos e necessitam de maiores cuidados.

Talvez possamos sair desta quarentena e desta temporada de circulação do vírus um pouco melhores do que entramos.

Os momentos de crise são sempre uma oportunidade de trazer à tona nossas maiores qualidades.

Summary
Service Type
Educação em Saúde
Area
Saúde Coletiva
Description
O uso das máscaras caseiras por todos é um grande instrumento na prevenção da infecção pelo coronavírus, e se torna mais abrangente quando se considera o valor do cuidado com o outro.

3 comentários em “Uso de máscaras como ato de Amor”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: